ArtigosMagia

Exercícios

Marcelo Sette Câmara

Um exercício relativamente fácil de ser feito que ajuda no autoconhecimento de seus próprios limites.

Diário Mágico

Devemos buscar, antes de mais nada, o conhecimento de nós mesmos para que nosso caminho dentro da Magia se inicie sem que nos “pregue peças” no futuro. Para que venhamos a nos conhecer realmente, devemos conhecer tanto nosso lado positivo quanto o negativo, e nada melhor para isso do que adotar um Diário Mágico. Mas o que vem a ser um Diário mágico? Pode ser um caderno comum, pautado ou não, que pertence somente a você. Devido à sua natureza, não deve ser mostrado a ninguém, nem mesmo à pessoa que você mais ama, pois é extremamente pessoal. O importante é ser realmente fiel e crítico, mesmo duro, consigo mesmo para que o efeito seja o desejado. Comece separando o diário em três partes distintas e as nomeie da seguinte forma:

  • Pontos Negativos;
  • Pontos Positivos;
  • Análise.

Pontos Negativos: Busque tomar nota de todos os seus pontos negativos, desde seus defeitos, hábitos, paixões, impulsos ou traços desagradáveis de seu caráter. Nessa parte você deve ser fiel consigo mesmo, e evitar “camuflar” pontos que são negativos. Volte atrás no tempo, até onde sua memória permitir, visualize os fatos marcantes de sua vida e anote tudo o que você considerar como negativo, mesmo os fatos mais insignificantes. Veja onde estão seus defeitos e em que você errou em uma determinada situação. Veja as repercussões que seus atos nessas situações levaram. Caso os pontos negativos se repitam em situações diferentes, anote-os, mesmo em duplicidade. Quanto mais você descobrir melhor. Nada deve permanecer oculto ou velado. Lave a sua alma até que se purifique totalmente, e dê uma boa varrida em tudo que é negativo. Para tanto, dedique alguns minutos de seu tempo, pela manhã e à noitinha, ou nos momentos livres de seu dia. Use esse tempo para refletir e tentar descobrir se ainda há alguns defeitos escondidos, e ao descobri-los passe-os imediatamente para o papel, e que nenhum deles fique esquecido. Caso apareça um novo, não hesite, anote-o imediatamente. Use de uma a quatro semanas, pois o importante é que o registro seja realmente fiel.

Pontos Positivos: Utilize o mesmo esquema acima, mas anotando seus pontos positivos. Veja as consequências positivas de seus atos e o bem que trouxeram para você e/ou para os outros. Utilize também de uma a quatro semanas, sendo o mais fiel possível.

Análise: Nesse ponto, faça uma separação, uma triagem nos pontos negativos e positivos, separados por colunas. Nesse momento, os pontos positivos e negativos que se repetirem devem ser colocados de forma que fiquem juntos. Por exemplo, se um de seus pontos negativos é o egoísmo, e ele surgiu em vários momentos diferentes de sua vida, selecione-os e repita na análise quantas vezes for necessário. No final, quando todos os pontos negativos e positivos estiverem devidamente catalogados, você terá uma visão panorâmica de seu verdadeiro interior. E você poderá passar à segunda fase do exercício.

Segunda parte

Busque atribuir para cada um de seus pontos negativos e positivos um dos quatro elementos – Fogo, Ar, Terra e Água. Aqueles em que houver alguma dúvida, considere como indiferente. Não se preocupe, pois à medida em que for fazendo o exercício você conseguirá determinar o elemento correspondente. Por exemplo:

Pontos Negativos

Fogo: Irritação, ódio, ciúmes, vingança, ira, etc.

Ar: Leviandade, fanfarronice, supervalorização do ego, bisbilhotice, negligência.

Água: Indiferença, frieza de sentimentos, transigência, negligência, timidez, teimosia.

Terra: Preguiça, falta de consciência, lentidão, melancolia, etc.

Pontos Positivos

Fogo: Atividade, entusiasmo, determinação, ousadia, coragem, etc.

Ar: Esforço, alegria, agilidade, bondade, prazer, otimismo, etc.

Água: Sensatez, sobriedade, compaixão, serenidade, perdão, Ternura.

Terra: Atenção, perseverança, pontualidade, responsabilidade, etc.

Depois de tudo feito, use a semana seguinte, reflita sobre cada um dos elementos e divida-os em três grupos. No primeiro coloque os defeitos mais evidentes, que possuem mais força e que surgem na primeira oportunidade ou ao menor estímulo. No segundo grupo coloque aqueles defeitos que surgem mais raramente e com menos força. E no terceiro coloque aqueles defeitos que chegam só de vez em quando e em menor escala. Assim você terá dois Espelhos Astrais da alma, um negro com as características ruins, e um branco com os traços bons e nobres do seu caráter. Esses dois espelhos mágicos devem ser considerados como dois autênticos Espelhos Ocultos, e ninguém tem o direito de olhar para eles. Caso lhe ocorra, ao longo do seu trabalho de evolução, mais uma ou outra característica boa ou ruim, ainda poderá incluí-la sob o elemento correspondente. Esses dois espelhos mágicos dão ao mago a possibilidade de reconhecer, com bastante precisão, qual dos elementos é o predominante em seu caso, o espelho branco ou negro.

Esse reconhecimento é necessário para alcançar um equilíbrio mágico e o benefício que se obtém através desse Diário Mágico, é que você (se for honesto consigo mesmo na execução do exercício) passará a se conhecer de uma forma mais completa, e poderá trabalhar tanto seu lado negativo como o positivo, o que o ajudará a crescer de uma forma mais completa. Além disso, você aprenderá a reconhecer os momentos em que poderá executar seu Ritual e feitiço sem a interferência de sentimentos negativos que podem prejudicar, de alguma forma, seus resultados. Esse exercício também dará a você um ponto de partida para conhecer e trabalhar seu “lado negro”.