ArtigosBruxariaMagia

O que é um(a) bruxo(a)

Marcelo Sette Câmara

Apesar dos preconceitos que o próprio nome traz, o Bruxo ou a Bruxa são pessoas comuns, que possuem seus hábitos e costumes como qualquer outro. Gostam de coisas como ir ao cinema, a um restaurante, a um shopping, trabalham, estudam, fazem e gostam de tantas outras coisas também consideradas comuns do dia a dia. O que as diferencia das outras pessoas é que buscam viver princípios diferentes dos habituais. Veem o extraordinário, a Magia, a beleza da Natureza como parte integrante de suas vidas. Possuem uma crença fora do comum, mas por opção e não por imposição. Acreditam que a Natureza possui as respostas para todos os questionamentos. Veem os Elementais como fazendo parte da Natureza como fontes da própria vida e, juntamente com os Elementos, acreditam no poder das energias, sejam dos cristais seja do próprio Universo. São pessoas que não tem receio de se assumirem como Bruxos e Bruxas, nem tem vergonha daquilo em que acreditam.

As pessoas ditas comuns sentem um certo temor e uma grande restrição ao se falar de Bruxaria, mas isso tem seu motivo nos antepassados que temiam o que desconheciam. Desde o período da Inquisição o conceito de Bruxaria foi desvirtuado, querendo mostrar que tudo relacionado a ela era (e ainda é) também relacionado ao Lado Negro e ao Diabo (que não é reconhecido na Bruxaria). Para que as crenças emergentes se firmassem, havia a necessidade de desacreditar o que estava já estabelecido como crença. Para isso as datas em que se celebravam os Solstícios e os Equinócios, e as datas comemorativas bem como seus ritos, foram convertidas para a crença que se tornava predominante (e que se encontra até hoje).

Felizmente isso está mudando atualmente. Os Bruxos e Bruxas de hoje buscam mostrar que o tão temido lado negro se encontra dentro de todas as pessoas, independente de crenças. E o que os diferencia é que quem segue o caminho da Bruxaria conhece seus limites e sabe o que devem ou não fazer. Principalmente por seguirem uma de suas leis mais rígidas: Tudo o que fizer retorna 3 vezes mais forte. E para que se saiba seus limites, o Bruxo ou a Bruxa passam por uma série de exercícios que os ensina a conhecer todas as suas faces e todos os seus lados, incluindo o negro. Os Bruxos e Bruxas se espelham nos Deuses, independentemente de suas origens, para darem um rumo às suas vidas. E como uma das coisas que a Bruxaria ensina é que se deve ser feliz, as pessoas de outras crenças não aceitam isso muito bem e buscam de qualquer forma reprimir essa felicidade.

A Bruxaria não exige nada de seus praticantes que esses não possam cumprir. Possuir um local físico como um Altar ou mesmo um Templo onde se pratica os cultos às divindades, como, por exemplo, a Lua que representa a Deusa, não é necessariamente obrigatório, já que a Natureza é o melhor Templo a ser utilizado. Isso porque é na Natureza que se encontra a Vida e onde se cultua o Amor a todas as coisas vivas. E a Natureza ainda ensina que seguir o caminho da Bruxaria faz a seus praticantes reconhecer tanto seu lado feminino como seu lado masculino, sabendo reconciliar os dois para que a harmonia se faça presente. Reconhecer a Deusa que se encontra em seu coração faz com que o Bruxo e a Bruxa acreditem, respeitem, perdoem e amem.