ArtigosBruxariaMagia

Bruxaria – Um caminho com coração

Marcelo Sette Câmara

Uma coisa interessante que ocorre hoje em dia, apesar de ainda existir muito preconceito por parte de outras crenças e pessoas mal esclarecidas, é que a bruxaria está em franca expansão em diversas partes do mundo. Além desse preconceito que as pessoas de outras crenças deixam transparecer, existe dentro da própria bruxaria e em outras correntes mágicas, uma enorme briga de egos, onde seus integrantes querem provar que são melhores que os outros, mais poderosos ou mesmo superiores no que diz respeito ao conhecimento. Porém isso é algo que acontece em qualquer tipo de crença. Assim, mesmo com percalços, a Bruxaria continua seu crescimento, ganhando seu espaço.

Um dos maiores atrativos no que diz respeito à Bruxaria é que seus preceitos são bastante maleáveis no que diz respeito à crença. Por ser uma crença com forte ligação com a própria Natureza, seus seguidores possuem (ou pelo menos deveriam possuir) uma maior conscientização no que diz respeito à sua conservação. Como se não bastasse ser a Natureza que mantém a vida em nosso planeta, ela também ensina seus segredos a todos aqueles que saibam ler seus sinais e que estejam sintonizados com suas energias. E, assim como os ensinamentos estão disponíveis àqueles que estão abertos a recebe-los, os praticantes da Bruxaria não devem ter qualquer receio de revelar uma cerimônia, uma palavra de poder ou mesmo alguns “segredos” (que não sejam inerentes de uma tradição).

A cada ritual ou feitiço, seja de proteção, amor ou qualquer outro, o praticante da Bruxaria se sente cada vez mais à vontade, cada vez mais confortável com as eventualidades que podem surgir. Quando um ritual é executado em local público e na presença de várias pessoas de diferentes crenças, independente de seus motivos, demonstra que realmente está havendo uma maior aceitação, com um pouco menos de preconceito. Para que esse preconceito acabe ou chegue próximo de acabar, os praticantes da Arte (Bruxaria) devem deixar seus próprios preconceitos de lado e se disporem a mostrar àqueles que não seguem esse caminho, seja por gestos ou palavras, os conceitos básicos que sua própria crença possui. Quando esses princípios são explicados, várias pessoas acabam por buscar maiores informações, acabando por se identificar e entrar nesse caminho mágico.

Uma das razões do retorno da Bruxaria nesse período diz respeito ao estado caótico em que se encontra o planeta Terra. Por um longo período esteve em uma total reclusão, fechada em seu próprio Universo em razão da incompreensão do próprio ser humano. Como todas as coisas são cíclicas, a Bruxaria ressurge no momento certo para a humanidade, pois o ser humano está em uma busca desesperada pela alegria de viver, bem como a necessidade de encontrar modelos em quem se espelhar, e acabam por encontrar esse modelo nos Deuses. A realidade que se apresenta na vida das pessoas faz com que busque orientação para seus caminhos, pois sentem a necessidade de encontrar uma realização que as instituições atuais não estão conseguindo passar.

Entenda que a Bruxaria não é o único caminho a se seguir, nem tampouco possui toda verdade das crenças, nem quem a segue está sempre certo em suas escolhas e as outras pessoas erradas. Em muitos aspectos, as instituições atuais não conseguem ou não desejam fazer com que o ser humano se sinta bem consigo mesmo ou seja feliz e esteja em harmonia com o meio ambiente. Isso porque, em muitos casos, essas instituições só se mantem através do medo, e em todo seu tempo de existência histórica, não conseguiu fazer com que a sociedade criasse em seu interior o respeito que a vida merece ter.

Olhando ao redor ou assistindo ao jornal a maioria das coisas que se vê são guerras, discriminações de todo tipo, seja racial, por gênero ou crença, e mesmo destruição da esperança em um mundo melhor. O que é pior nesse cenário é que cientistas, governos e líderes religiosos diversos veem esse tipo de coisa como o ápice do crescimento da humanidade, passando essa falta de visão como se fosse uma evolução. Não se percebe que essa transformação de conceitos tenta transformar o ser humano em uma coisa ou mesmo em mercadoria, e o povo, ou a grande maioria, é induzido a acreditar que tudo pode ser comparado, inclusive o próprio ser humano.

Assim está ficando claro que a Bruxaria não vem para negociar almas ou um lugar ao céu. Não busca nem quer converter as pessoas à sua crença. A Bruxaria possui o preceito de que os homens e mulheres são livres para viver e crer no que bem entenderem, para conectar a totalidade da maneira que desejarem, ou amar como quiserem, ou ainda serem também o que quiserem. A essência do caminho pagão é a Liberdade. E essa liberdade ensina cada um a querer ir além dos seus próprios limites, mostrando o que o ser humano pode ser realmente em essência. Este é o Caminho da Bruxaria disponibilizado pela Deusa a cada um, de forma individual e intransferível, que permite reavaliar sua própria existência e crenças. E o ser humano está acordando para essa situação. Encontra-se muitas pessoas que já começaram a empreender sua busca interior visando um crescimento espiritual, e para tanto busca o conhecimento através das crenças diversas existentes. E quando encontram o paganismo e a Bruxaria, descobrem também o que os diferencia das crenças tradicionais: a Liberdade. Principalmente porque essa liberdade permite que se questione todas as coisas, sejam elas reais, fatos, métodos ou mesmo sistemas de vida. E ao se reavaliar a realidade que se encontra ao redor a Magia começa a ser percebida de forma lenta e gradativa, notando-se que ela, a Magia, sempre esteve presente na vida de todos passando desapercebida pela falta de atenção. Essa falta de atenção está ligada diretamente à formação que se recebeu no passado, que fechou a consciência do ser humano para aos novos (ou antigos) conhecimentos.

Passa-se tanto tempo durante a vida cultivando uma enorme preocupação com possíveis futuros, ou ainda com atos do passado, que se acaba por esquecer o real momento onde a vida acontece, que é o aqui e agora. Esse é o momento das reais e possíveis mudanças que afetam diretamente a vida de todos. Um novo caminho se abre à frente a cada novo momento que passa, a cada decisão tomada, esteja ela certa ou errada. Por uma criação equivocada, o ser humano tem a tendência de achar que a Magia e o Poder só são encontrados em objetos, que devidamente energizados se tornam carregados com a Energia dos Deuses. Essa não deixa de ser uma verdade, mas esse Poder está dentro de cada um, já que os Deuses fazem parte do interior individual. Você pode comprar um cristal em uma loja, mas a Magia que vai ser utilizada para despertar sua essência só pode brotar de dentro de cada um, através da vontade e da intenção. Ao comprar um caldeirão em uma loja, este só se tornará a representação do útero da Deusa se existir realmente uma união espiritual com Ela. E esta conexão com a eternidade só pode ser conseguida através do esforço pessoal, pelas pesquisas, estudos e prática.

E quando se inicia esse caminho e se conecta de forma mais forte com seus preceitos, a própria Deusa, através de seus ensinamentos, mostra ser esse um caminho de completa sintonia com as diversas forças da Natureza, as energias Solares, os Astros e tantas outras que vem da eternidade e passam por cada ser humano. Os Deuses e Deusas vivem na alma de cada um, ao mesmo tempo em que cada um é parte deles. Tais forças ou energias, são inerentes do interior humano e faz parte de cada uma de suas realidades. Ao optar pelo caminho da Bruxaria, e consequentemente da Magia, conceitos antigos mudam, assim como as crenças. Acreditar que a razão não se encontra superior à intuição e que os mitos e lendas também fazem parte da realidade e é um caminho tão válido como o da ciência. Assim esse caminho se torna lugar comum na consciência humana, o que leva a rever os conceitos prontos que foram incutidos desde a infância e buscar entender o paganismo e suas formas de manifestação.

Na Bruxaria cada uma de suas divindades possui uma representação visível e material. Por exemplo, cumprimentar o sol ao nascer não quer dizer que se cultua o Astro Rei de nosso sistema, e sim à Luz que ele representa. Mesmo assim deve-se buscar conhecer seus significados, sejam eles reais, como um agricultor que trabalha na lavoura e se sente em sintonia com as estações do ano para que suas colheitas deem seu devido fruto, sejam místicos, como um praticante da Arte que participa ativamente de um momento mágico, seja ele qual for. Independente de qual seja, há uma sintonia que é criada entre o ser humano e as forças provenientes tanto dos astros como de origens diversas, que após todo um processo, envia essa energia de volta ao planeta Terra, auxiliando na sua cura. Tome como exemplo o próprio Sol. Sem sua luz não haveria a vida nesse planeta, independentemente de sua forma.

E quando se olha para o céu à noite e se vê a imensidão do Universo através de suas bilhões de estrelas, em infinitas galáxias, nota-se que é impossível que o planeta Terra seja o único habitado nessa vastidão. A Bruxaria abre a mente para as diversas possibilidades existentes, voltando em um momento em que se quebra paradigmas, onde a visão que a ciência ou as religiões tradicionais são alteradas na sua forma de ver a realidade. A abordagem da Bruxaria, por ser diferente, traz sua própria realidade de volta às suas origens, abrindo um leque de possibilidades do que se pode ser se houver o respeito à Natureza, que no dia a dia mostra as dificuldades que o planeta está passando. E é essa abordagem diferente da existência que faz com que a Bruxaria cresça e se expanda, pois com essa visão sem as tradicionais traves os olhos se abrem para as dificuldades que a Terra vem passando. E deixar de lado as coisas que dividem as pessoas e se fazer realmente presentes nos momentos que se realiza mostra que a Magia maior é viver a cada instante, de forma plena.

E é assim que se deve ver e viver a Bruxaria: transformando cada ato, cada momento, cada instante em uma celebração à vida. Os atos cerimoniosos ou momentos ritualísticos, são a parte fácil, pois manter a intenção mágica em cada ato do dia e levar para o cotidiano os ensinamentos recebidos é o maior desafio daqueles que buscam o crescimento dentro da Arte. A cada momento de sua vida mostrar aquilo que é e acredita, deixando de lado as desculpas ou críticas que surgirão no caminho. A Magia é ação e essa ação não deve se restringir aos rituais e às festividades. Deve vir de dentro de cada um já que a premissa básica da Bruxaria é recuperar o elo do ser humano com a Natureza. Só se sobrevive como ser humano se recuperar a consciência ecológica e evitar que o mundo seja destruído por gananciosos atrás de poder econômico.

Na Bruxaria existe a consciência que a Natureza é representada pela figura do Deus Cornífero, e todo e qualquer ato que porventura agride a Natureza vai de encontro com os preceitos da própria Deusa. Os Bruxos estão normalmente sintonizados com a Natureza, assim sendo deve ter interiorizado que os atos simples da vida como, por exemplo, separação do lixo reciclável, ou evitar sujar as ruas, praias, rios, campos ou florestas, ou mesmo maltratar outro ser vivo (dentre eles o próprio ser humano), cuidar das plantas e jardins, etc., deve ser ensinado àqueles que possuem uma visão limitada. Educar as crianças de hoje quer dizer salvar o planeta amanhã. Mostrar que plantar uma árvore é um ato simples, porém significativo e que pode e vai provocar mudanças em sua vida.

Até a década de 1950 a Bruxaria era considerada crime em diversos países, inclusive no Brasil. Assim o conhecimento, as tradições, os ritos eram passados através de disfarces em utensílios, sejam domésticos ou profissionais. Cozinhar, por exemplo, em um caldeirão, ou varrer a casa, ou mesmo ensinando uma profissão eram as maneiras encontradas para se passar o conhecimento. Com o passar do tempo, acreditou-se que os cultos ditos pagãos já estariam extirpados da sociedade moderna. Assim houve o fim da proibição aos cultos e crenças diferentes das tradicionais que dominavam na época. Assim, todos aqueles que se encontravam escondidos começaram a se mostrar, mesmo com certas restrições, pois o preconceito estava (e ainda hoje o é) muito forte. Quando começaram as divulgações através de livros e de ensinamentos abertos sobre a Arte, ela, a Bruxaria, teve um significativo avanço em entendimentos.

Existem dois ramos na Bruxaria, mesmo que muitos participantes questionem um deles. O ramo feminino, conhecido como o Caminho do Caldeirão e da Vassoura, é um que ressurge com toda sua força e sabedoria. Já o ramo masculino, conhecido como o Caminho dos Dragões, é o utilizado no ensino das artes do ofício e aprendizado, e é o questionado principalmente por algumas pessoas que acreditam ser a Bruxaria uma arte essencialmente feminina. Mas independente do ramo, aqueles que estão dando seus primeiros passos nesse caminho, estão em uma transição, onde se batalha em busca de uma transformação. É a busca de um mundo novo, que está se fazendo surgir, mostrando o caminho necessário para uma realidade mais bem definida. Vale lembrar que o que dita a principal regra da Bruxaria continua sendo a Liberdade e a Sintonia com a Deusa. E hoje, sentir o elo da tradição na Bruxaria, por gerações e gerações, faz realmente pensar.