A Magia das Fragrâncias
11 de maio de 2017
Signos – Ficha Zodiacal – Gêmeos
21 de maio de 2017
Mostrar todos

Exercícios

Proponho esses exercícios para que se possa começar a desenvolver a consciência de seu processo respiratório e corporal. Quando não temos um padrão respiratório somos comparados a uma máquina funcionando com combustível na reserva. Provocamos um desgaste maior em nosso organismo e não funcionamos com capacidade total. Esses exercícios buscam abranger áreas do corpo que comumente são atingidas por nossos excessos e tensões físicas e psicológicas. Buscaremos entender as dificuldades e, através delas, ajustar os padrões individuais. À medida que vai se conhecendo, reativa os sentidos, e aprende-se a ouvir o corpo, respeitar e atender as necessidades, e ter uma boa saúde física e mental.

Respiração

Inicialmente, deve-se ter consciência da respiração:

  • Sente-se com as costas e os pés bem apoiados e os olhos fechados;
  • Coloque as mãos sobrepostas sobre o abdômen;
  • Inspire fundo pelo nariz (sua barriga deve subir, utilizando toda a capacidade pulmonar);
  • Solte o ar devagar pela boca (até sentir que todo o ar saiu de seus pulmões);
  • Repetir por cinco vezes.
  • Colocando as palmas das mãos sobre as costelas, repetir o exercício.
  • Colocando as palmas das mãos sobre o peito, repetir o exercício.

Essas variações abrangem a respiração abdominal e torácica baixa e alta, e facilitará sua percepção do padrão que deverá desenvolver.

Corpo

Execute a sequência abaixo onde, através do toque, que deve ser suave, fará contato consigo mesmo. Na medida em que as mãos descem contornando o corpo, o tronco se flexiona. Com o devido tempo, você perceberá as mudanças físicas que ocorrem. Notará as tensões dos braços, da nuca e costas à medida que executa os movimentos, basta buscar ouvir seu corpo. Pode ser feito de pé, sentado ou deitado, mas de olhos fechados.

Primeira parte

  • Toque inicialmente todo o lado esquerdo com sua mão direita. Comece pelo topo da cabeça, passe pela nuca, o lado do pescoço, o ombro, o braço e antebraço esquerdo até atingir a mão;
  • Repita o exercício do outro lado, usando a outra mão;
  • Faça exercícios de respiração durante o movimento.

Segunda parte

  • Toque as costelas, abaixo das axilas, e contorne o corpo lateralmente até atingir os pés flexionando suavemente o tronco;
  • Subir lentamente o tronco, deslizando a mão pelo tornozelo, perna e coxa pelo lado interior;
  • Repita o exercício do outro lado;
  • Faça exercícios de respiração durante o movimento.

Terceira parte

  • Toque o topo da cabeça com ambas as mãos;
  • Desça pelo rosto, passando pela testa, olhos, nariz, boca, queixo, pescoço, peito, seios, costelas, abdômen, órgãos sexuais, coxas, joelhos, pernas e pés;
  • Suba fazendo o mesmo;
  • Faça exercícios de respiração durante o movimento.

Quarta parte

  • Toque o topo da cabeça com ambas as mãos;
  • Desça pela parte de trás da cabeça, passando pela nuca, pescoço até chegar aos ombros;
  • Coloque os braços para trás, até onde alcançar, e siga descendo pelas costas até os pés;
  • Suba fazendo o mesmo;
  • Faça exercícios de respiração durante o movimento.

Durante os exercícios busque ter sua mente livre, voltada para o seu interior. Sinta o seu corpo ao toque de seus dedos. Tente se acostumar com o toque, ouvir o que o seu corpo te fala. Não pressione com força, pois seu corpo é seu instrumento de vida. Esse exercício tem por finalidade você se conhecer melhor do que qualquer outra pessoa. Mas a título de experiência, faça esse exercício com seu parceiro ou parceira, utilizando os toques um no outro, o que fará com que se conheçam mais intimamente, o que lhes dará uma maior aproximação.

Concentração

Escolha um lugar tranquilo e silencioso, se possível com um fundo musical suave, quase monótono. Escolha uma posição relaxada e cômoda, de forma que o corpo não sinta o mínimo desconforto, mesmo que o exercício tenha que se prolongar por algum tempo. A primeira fase é a do relaxamento, que será imediatamente seguida pela sincronização da respiração:

  • Concentre-se na sua mente;
  • Considere o pensamento como algo fixo, real, material;
  • Imagine um bloco de matéria se condensando onde está situado o cérebro e sinta-o como um corpo denso, que se pode pegar e dominar fora do corpo;
  • Mantenha-o como uma forma em si.

Isso leva a uma nítida divisão entre o espírito consciente e o ato de pensar em si. Ao surgir um pensamento estranho diga em voz alta “Vá embora”, “Saia”, até que a mente se volte para seu objetivo e busque o silêncio de sua mente. Crie mentalmente uma imagem e concentre-se nela, pode ser um símbolo que seja especial ou importante para você. Sinta seu Terceiro Olho, situado entre as sobrancelhas e na base do nariz, se abrindo para a imagem escolhida e busque imaginar que seu pensamento brota desse ponto. Mantenha o pensamento fixo na imagem o maior tempo possível. No início o tempo será relativamente curto, até que a mente esteja treinada e o exercício possa ser feito de forma natural.

Energética

Durante a realização de alguns desses exercícios, deixe suas emoções e sensações fluírem normalmente, sejam eles agradáveis ou não. Sentimentos e sensações como medo, ódio, rancor fazem parte de você, por isso não devem ser reprimidos. Se durante qualquer dos exercícios um ou mais desses sentimentos vierem à tona, não os reprima, simplesmente reconheça sua existência em você. Analise situações de seu passado, onde um aroma, som ou cheiro, ou qualquer outra imagem permitiu que revivesse alguma emoção ou sensação, seja agradável ou não. Vem do inconsciente e ultrapassa a barreira de censura do consciente devido a um estímulo externo. Essa é uma das formas em que se pode reconhecer emoções e sensações que fazem parte da vida, mesmo de uma forma espontânea e não controlável. É, portanto, importante intender esse processo para que se possa acessar o material inconsciente e analisa-lo.

Essa análise pode ser feita através de exercícios simples, e é a representação a nível consciente dos bloqueios, medos, ansiedades, frustrações e defesas. Alguns exercícios têm como finalidade fazer reconhecer emoções e sensações às quais se está mais diretamente relacionado. Leva a um melhor conhecimento de si mesmo, daquilo que realmente se é. Os exercícios a seguir podem ser feitos em grupo, com um parceiro (a) ou mesmo só. Leve em consideração que em grupo pode ser bem mais divertido, principalmente por ser possível discutir as impressões logo em seguida. Inicialmente comece escolhendo dois estilos diferentes de música: Pop ou Rock, e Instrumental ou Clássica leve. O tempo de duração das músicas está relacionado ao tempo que estiver disposto a fazer os exercícios. Em seguida procure um local calmo e faça uma série de exercícios de respiração e relaxamento.

Após o relaxamento, ligue a música Pop ou Rock. Feche seus olhos e busque entrar na música, permitindo que seu corpo se libere, que seus movimentos se tornem soltos. Deixe que a música tome conta de você e envolva-se com ela, soltando seu corpo e mente. Deixe os movimentos fluírem normalmente, sem restrições. Dance, pule, grite, role no chão ou faça qualquer coisa que a música possa te estimular. Você pode aguardar a música terminar, ou pose terminar antes, você decide. Só não se esqueça ao final de anotar suas impressões e sentimentos que lhe foram inspirados.

Em seguida faça um novo exercício de relaxamento. Ligue a música Instrumental ou Clássica Leve. Procure se acomodar de maneira confortável e deixe a música fluir e te envolver por completo. Concentre-se apenas na melodia, no ritmo, no encanto da música. Sinta que só existe você, a música e o envolvimento de ambos. Evite qualquer tipo de pensamento, deixando que a música tome conta de você e do ambiente. Você pode aguardar o término da música ou terminar antes, mas não se esqueça que ao final deve anotar as impressões e os sentimentos que lhe foram inspirados.

Quando terminar os dois exercícios acima, acomode-se confortavelmente, faça um exercício de relaxamento. Ao término fixe a primeira cena que lhe vier à mente. Não será uma cena estática, portanto busque perceber as pessoas que nela aparecem, os sons, os cheiros, enfim, todas as sensações que estejam associadas à cena, deixando-a fluir, portanto não interfira conscientemente nos acontecimentos. Ao final anote as impressões e os sentimentos que lhe foram inspirados.

Meditação

Essa visualização tem por objetivo esclarecer e limpar as impurezas do cérebro e acelerar seu padrão vibratório. Sente-se no centro de um local tranquilo, coloque uma música suave e sinta a paz no ambiente. Comece visualizando uma pirâmide dourada, com aproximadamente um metro de lado, voltada para cima. Usando a visualização, posicione-a vários centímetros acima de você e no centro do aposento. Mantendo seus olhos fechados, imagine um olho dentro desta pirâmide. Imagine raios transparentes de luz emanando do olho em todas as direções. Sinta os raios penetrando em seu próprio cérebro físico e abrindo o seu Chakra Frontal, conhecido também como Terceiro Olho ou o Olho Que Tudo Vê da Divindade dentro de você. Permaneça com essa visualização por alguns minutos, ou até se cansar. Em seguida descanse no silêncio dessa percepção e, ao final de alguns minutos, anote suas impressões.

Coração e Mente

Esse exercício é bom, principalmente quando se tem algo que o preocupa e que queira, ou uma solução, ou simplesmente deixar sua mente livre. Em um local tranquilo, coloque uma música suave, sente-se e busque relaxar das atividades do dia. Quando se sentir pronto, visualize um triângulo de aproximadamente 10 cm voltado para cima à sua frente e na altura de seu terceiro olho. Visualize o triângulo chegando mais perto, até ficar rente à sua testa. Quando a imagem se firmar na sua mente, puxe-a para dentro de sua cabeça, formando uma base triangular, sendo uma ponta em cada têmpora e a terceira voltada para a parte posterior da cabeça. O lado superior do triângulo fica exatamente no centro da coroa. Inspire profundamente mantendo a imagem na mente e em seguida expire. Na segunda inspiração profunda, visualize o triângulo reduzindo seu tamanho, e ao expirar emita o som do Mantra Om (algumas pessoas pronunciam AUMMMMM, enquanto outras se utilizam da fonética da própria palavra e pronunciam OMMMMM. Escolha a melhor forma para você) de forma contínua até o ar acabar. Repita essa parte do exercício por sete vezes. Ao terminar, volte sua respiração para o seu normal e aguarde alguns minutos para dar continuidade.

Quando se sentir confortável, volte a visualizar o triângulo que ainda se encontra dentro de sua cabeça. Faça novamente a respiração profunda. Em seguida, ao inspirar profundamente, visualize o triângulo se movendo, ficando com sua parte mais larga acima de sua cabeça, e sua ponta voltada para baixo, em direção ao seu coração. Inspire profundamente, e ao expirar emita o som IUUUUU, até o ar sair completamente de seus pulmões. Repita a respiração por sete vezes. Ao terminar, volte sua respiração para o seu normal e aguarde alguns minutos para dar continuidade e seguir para a fase final.

Ao se sentir confortável, volte a visualizar o triângulo em sua mente. Agora você vai visualizar o triângulo se virando, voltando sua parte mais larga par seu coração e a ponta para cima. Imagine agora uma forte luz branca no topo do triângulo. Esse é o momento em que você deve imaginar os problemas que quer resolver ou tirar de sua mente, preenchendo o triângulo. Imagine que o triângulo vai se enchendo aos poucos até não caber mais, e veja seus problemas chegando até a luz branca no topo. Visualize a luz preenchendo e transmutando os problemas em soluções ou simplesmente em energia que é reabsorvida pelo Universo. Repita quantas vezes achar necessário. Ao final, se estiver satisfeito com o resultado, visualize o triângulo saindo de sua mente e se afastando. Em seguida agradeça pelo trabalho realizado e deixe o triângulo se desvanecer ao vento. Anote suas impressões.

Cérebro

Visualize um sol amarelo-ouro, do tamanho de uma ameixa, diante de você. Puxe-o para dentro de sua cabeça e mantenha a visualização do sol dourado brilhante dentro do cérebro, vendo-o colorir a massa cinzenta do cérebro de luz amarelo-dourado. Veja seu cérebro ficar dourado. Sinta o sol amarelo-dourado dentro de sua cabeça e veja-o emitindo raios dourados em todas as direções. Após um minuto visualize o sol dourado se elevar e sair de sua cabeça, ficando 30 centímetros acima dela. Relaxe a cabeça e mantenha a imagem o maior tempo possível. Deixe que as imagens que apareçam em sua mente fiquem lá e tome nota delas, sem julgamentos. Depois de alguns minutos, retorne gradualmente à sua realidade normal e faça registro de suas observações.

Exercício da Árvore

Esse é um exercício muito gostoso de se fazer, principalmente se você conseguir se aprofundar nele. Procure uma árvore com o tronco o mais reto possível. O ideal é que se faça sem camisa, mas caso não seja possível procure utilizar uma camisa fina ou natural. Encoste toda a coluna na árvore, feche os olhos e se concentre no tronco às suas costas. Visualize a seiva correndo pelo tronco e, à medida que passa por suas costas, imagine sua energia se fundindo com a da natureza. Crie uma fusão energética entre você e a árvore, sinta-se como parte integrante dela, como se você fosse a própria árvore. Sinta o brilho e o calor do sol sobre suas folhas, a respiração dessas folhas. Você é a árvore, com todos os seus galhos, frutos e folhas. Sinta o vento te balançando com suavidade e a energia que vem da terra, do ar, do fogo e da água envolvendo todo o seu ser. Permaneça assim por 5 minutos. Imagine-se agora separando-se com delicadeza do tronco, para que não haja traumas nem para você nem para a árvore. Ao se desencostar abra vagarosamente os olhos. Você vai se sentir revitalizado e tranquilo. Antes de ir, não se esqueça de agradecer à árvore por ter permitido compartilhar com você a energia da própria Natureza.

Os comentários estão encerrados.