Deuses Celtas
26 de fevereiro de 2017
Para conhecer os Deuses
26 de fevereiro de 2017
Mostrar todos

Deuses

Esta é uma das partes mais delicadas do estudo da Bruxaria. Temos a imagem da Deusa, com sua figura feminina e a imagem do Deus com sua figura masculina. Essa é uma das principais diferenças no que diz respeito ao cristianismo. Na maioria das vezes, desde o momento do nascimento, estamos sujeitos aos ensinamentos de nossos antepassados que buscam nos condicionar e nos levar a acreditar somente no Deus único cristão. A explicação para esse comportamento de nossos ancestrais remonta à igreja católica que, para desacreditar as crenças antigas, converteu as Deidades pagãs em representação do mal cristão. Assim, o mundo da época acabou por perder as celebrações que traziam o riso, a alegria, a música e as substituiu por algo rígido que era pregado pela Igreja.

Durante muito tempo foi esquecido, ou melhor dizendo, ficou escondido do homem comum, um dos princípios básicos do Universo: o Princípio da Dualidade, que se encontra em todas as coisas. Yin/Yang, Branco/Preto, Bem/Mal fazem parte do princípio Masculino/Feminino, e é essa dualidade que mantém o equilíbrio em todo o Universo. Diferente do cristianismo com sua visão restrita, encontramos na Bruxaria a figura da Deusa Mãe, criadora e o princípio de toda vida. A Deusa tem seu aspecto tríplice e é a Mãe do Deus que é dual. Enquanto a Deusa é o infinito, sem começo e sem fim, o Deus está relacionado à Natureza, e através dela podemos determinar através dos festivais sazonais sua trajetória em nossa existência. Ele nasce da Deusa e tem seu ciclo de vida celebrado pelos solstícios e equinócios como vemos na Roda do Ano.

Porém, diferente do que se possa imaginar, os ensinamentos tanto da Deusa quanto do Deus são extremamente simples e diretos, sem maiores complicações, principalmente porque são encontrados na Natureza. Basta saber ver a simplicidade que nos envolve. É aí que entra a figura dos Xamãs, dos sábios, dos contadores de histórias, que eram e ainda são homens fortes e alegres com interesse apenas em estarem vivos. Não existe no coração do homem, enquanto divindade masculina, a imagem de superioridade sobre a mulher. Os dois são complementares na alegria, na força, na sabedoria. Os dois, Deusa e Deus, fazem com que nossos corações batam mais forte, trazendo a nosso caminho a verdadeira vontade de viver.

Marcelo Sette Câmara

Os comentários estão encerrados.